#50 - Energia de geradores a Diesel já é mais barata que no mercado livre

A disparada do preço da energia no mercado à vista, por causa do baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, tem provocado graves problemas de inadimplência no mercado de energia.

A ideia de reduzir os custos de produção comprando energia elétrica mais barata parecia um ótimo negócio para melhorar a competitividade da indústria, quando o preço da eletricidade no mercado à vista estava em cerca de R$ 40 o MWh*. Isso fez com que muitas migrassem para o mercado livre, em que o consumidor tem liberdade para comprar a energia de quem quiser.

Mas o custo da energia no mercado à vista, chamado de PLD, varia conforme o nível dos reservatórios e a necessidade de colocar mais térmicas para operar. Neste ano, as usinas do Sudeste e Centro-Oeste não conseguiram recuperar o nível de suas represas por causa da escassez de chuvas, o que manteve o preço no valor máximo.

Normalmente, as companhias que migram para o mercado livre fecham contratos de médio e longo prazo, mas com a alta dos preços ficou muito difícil fechar um contrato de longo prazo com quem tinha energia para vender - hoje contratos de um ano a partir de 2015 têm preços acima de R$ 3 mil o MWh*.

E pelas regras do setor, para voltar a ser atendido pelas distribuidoras o consumidor livre precisa avisar com cinco anos de antecedência - ou por menos prazo, dependendo da concessionária de energia.

Esta situação tem aumentado muito o número de empresas inadimplentes e que são desligadas da CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica). O efeito dessa decisão é o corte da energia.

Pelos dados da CCEE, 16 empresas foram desligadas até outubro de 2014 por descumprimento das obrigações, sendo a principal a falta de pagamento das faturas mensais. Outras 10 companhias conseguiram liminares para continuar no mercado.

Além de recursos judiciais, outra estratégia adotada por quem foi pego de surpresa pelo aumento no mercado livre, é o investimento em geradores a Diesel. E como em muitos casos o cenário requer uma atuação emergencial, sem tempo para as instalações que um gerador estacionário requer, os geradores portáteis têm se apresentado como opção mais flexível e de melhor custo/benefício, principalmente porque permitem operação imediata (leia mais no post anterior).

tabela

Gráfico de evolução do PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) médio recente (fonte: interact-energia).

Atualmente, o custo médio do MWh de um gerador de energia portátil varia de R$ 80 a R$ 40 (média de R$ 60,00) dependendo do percentual de carga utilizado (sem incluir os custos de mão de obra e manutenção, e considerando o valor do litro de Diesel como R$ 2,20) (*fonte: CCEE).

anuncio
 
Loading
Conheça Nossos Canais:








 

VÍDEOS EM DESTAQUE

Assista o vídeo
Atlas Copco - Geradores QAS 360 / QAS 550
Assista o vídeo
Atlas Copco - Geradores QAS 360 / QAS 550
 

Sobre o blogER

O blogER, é um blog feito para engenheiros e profissionais da construção civil. Para saber as novidades do setor de energia portátil, entre no nosso blog, e também nos acompanhe nas redes sociais.

 
 

Comentários

Não há comentários para este artigo.

Nome:

E-mail:

Telefone:

Comentário: